segunda-feira, 20 de agosto de 2007

O FUZIL-METRALHADORA BROWNING BAR M1918A2




Dados do M1918A2
Calibre: 7.62x63mm (.30-06 M2)
Peso: 8.8 quilogramas
Comprimento total: 1214 milímetros
Comprimento do cano: 610 milímetros
Alimentação: carregador destacável da caixa, de 20 tiros
velocidade de tiro/ fogo: 450 ou 650 círculos/por minuto, selecionáveis
O rifle automático browning foi projetado pelo famoso John Moses Browning no fim da primeira guerra de mundial, a pedido do corpo Expedicionário dos E.U.A. na Europa. Inicialmente era apenas projetada como suporte de infantaria para avanços para tomar trincheiras, ao avançar nas posições inimigas, e fornecer o poder de fogo móvel a cada esquadrão, mas o B.A.R. M1918 era demasiado pesado para uma arma portátil, sendo mais que 2 vezes mais pesado do que um rifle Springfield M1903 e exatamente 2 vezes mais pesado do que o rifle semiautomático de M1 Garand. Em todo o caso, os M1918, feitos pela Colt Firearms co. foram emitidos às tropas dos E.U.A. para o fim da guerra, em substituição às metralhadoras Lewis inglesas e Chateleraut francesas. Após a guerra, o desenvolvimento do B.A.R. continuou. Em 1922, a cavalaria dos E.U. A adotou o M1922, que se caracterizou pelo início do uso do um bipé em forma de estaca, fixado próximo ao centro da arma, se dobrando sob o cano, que era aletado parcialmente, com nervuras, um monopé removível (“terceiro pé”) sob a corronha, e miras da metralhadora .30 M1917. A Colt produziu também uma versão semiautomática leve do B.A.R, chamada modelo 75 ou "Colt monitor”. para o uso das polícias. Durante os anos 30, a versão seguinte do B.A.R, designada como M1918A1, foi manufaturada momentaneamente. Este modelo se caracterizou pelos bipés dobraveis em forma de "Patas", unidos ao bloco de recuperação de gás. A coronha foi adicionada um acabamento de aço articulado. Em 1939, a versão americana final do B.A.R apareceu, sob a designação de M1918A2. Esta versão, manufaturada por Colt, Marlin-Rockwell, Winchester, Small Arms co. entre outras, serviu no papel da arma automática de Squadrão das tropas dos E.U.aA e do Brasil durante a 2a guerra e fgoi usado ainda na guerra da Coreia e do Vietnã. Muitos M1918A1 foram convertidos M1918A2, que era diferenciado pelo o bipé ajustável em forma de " pata" sob o quebra-chamas, as miras da metralhadora .30 M1917, o protetor de calor menor do forend ( atelha de madeira dianteira) e do metal entre o tambor e o cilindro/mola, duas selecões de tiro automático com 3 regulagens de gás cada, com o rápido (~650 RPM) e lento (~450 RPM) de fogo. O bipé, entretanto, era um tanto inábil, incômodo e pesado, assim muitos M1918A2 foram usados com o bipé removido. O B.A.R também foi usado em muitos exércitos europeus, quando a Browning vendeu seu projeto à companhia belga famosa Fabrique Nationale.(FN) O B.A.R mais ou menos modificado, foi utilizado pela Polonia, Suécia, Bélgica, e estados do Báltico, e assim por diante. A versão final da B.A.R. entretanto, apareceu somente após a 2a guerra de mundo, quando a FN introduziu seu modelo do B.A.R com o cano destacável de troca rápida e a mola do retorno movimentada na coronha . Este modelo não foi muito usado em serviço, sendo adotado somente pelo exército de Belga antes da adoção do calibre da OTAN de 7.62mm. e a introdução, consequentemente, do FAL. Houve muitas tentativas nos EUA de converter o B.A.R. para esta munição nova, mas o projeto foi mal feito e adaptado, assim, com a adoção do calibre da OTAN de 7.62x51mm como a munição padrão, o exército dos E.U.A foi deixado sem suas armas automáticas de Squadrão até o 1982, quando a M249 SAW (FN minimi) foi introduzida no serviço.








video

Um comentário:

Anônimo disse...

Caro amigo a polícia do rio apreendeu um fuzil,que de imediato
identifiquei pela foto do jornal,e para tirar a duvida,visitei seu blog,e eu estava certo,era mesmo
um b.a.r,seu bolg me foi muitissímo útil.